Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

07 outubro 2009

Para a minha Adorável

Era uma manhã cinza naquela Curitiba que se tornava cada vez mais invernosa. Os dias de sol com luz intensa que acentuavam o azul do céu eram festejados pela maioria. Em dias como aqueles ela se escondia da luz e protegia-se dos raios exagerando no seu fator solar 60. Mas aquela manhã era pra ela ... ainda. Naquele dia, naquela manhã cinza ela não tinha planos. Ainda de pijama branco e com meias cor-de-rosa nos pés foi passear pelo mundo (que agora era enquadrado pelo mesmo tom de rosa) vestida naqueles trajes. Se embrulhou um tanto mais em suas cobertas e foi ... passeou por alguns sites de moda (vício de identidade) e deixou os mais especiais para o final. Foi para o mundo ... dela.
Havia se acorrentado por lá como Prometeu. Por lá ela se reconhecia ... ela se via ampliada por seus espelhos côncavos (ou convexos?). Sabia como era difícil libertar a alma de seus devaneios, sabia o que era querer de verdade, sabia que a beleza é arma viva, sabia que a poesia era dádiva oferecida pra poucos. Por lá, no mundo da Adorável, havia fogo quente e luminoso. Havia promessas. E, de uns tempos pra cá, habitava naquele mundo dela um grupo seleto que lhe acompanhava. Gostava de ler o que lhe diziam em forma de comentários, gostava de ler os galanteios dirigidos à ela. Sabia que ela se avermelhava mais do que nas bochechas. Sabia que os elogios lhe faziam vazar a vermelhidão do coração. Ela era Adorável de fato: tinha uma beleza que lhe denunciava e uma escrita que lhe feria. Provocava o mundo todo. Provocava-se costumeiramente. Provocava encantos e se perdia neles.
Foi ler os novos comentários quando viu a resposta dela para cada um dos seus. Adoravelmente delicada ela havia cultivado esse hábito: personalizar suas falas dirigidas. Tinha um carinho especial para cada olhar que lançavam sobre si. Vinha aprendendo a ser mais Elga do que antes. Ela lia o que sua Adorável dizia para os seus meninos-leitores. Ria escondido porque sabia que ali havia um tanto de encantamento novo. Podia sentir da sua cama o cheiro que há no frescor. Foi pega de surpresa:
"Bel,
Sabe que foi uma dificuldade sem tamanho receber seus afagos e carinhos, no começo? Vc é intensa demais e isso me exigiu uma exposição e uma explicitação dos meus sentimentos que eu nunca imaginei conseguir. É, principalmente, por sua causa que hj sou uma pessoa mais amena, amorosa... Por sua causa, não tenho mais uma vergonha descabida em mostrar, falar sobre o amor, ilusões, desilusões, esperanças inocentes, mesmo que falando de um jeito mais vulgar e menos flutuante. Sua doçura é contagiosa!"
Devorou aquela confissão e viu seus olhos oferecerem transparências líquidas.Quis congelá-las pra materializar o afeto que havia entre elas. Mais do que afeto havia um carinho imenso e sincero. Ela adorava a vida pulsante que se apresentava através de uma escrita voraz. Adorava o riso farto e os olhos molhados dela. Adorava saber que havia um pote de Mel que lhe abastecia, especialmente, em dias menos fartos. Adorava saber que ela era engajada política e afetivamente. Adorava escutar as músicas que ela selecionava pra se oferecer um tanto à mais. Adorava saber que o dia em que se olhassem saberiam se oferecer. Adorava saber que tinha ela por perto ao alcance dos olhos.
Adorável era uma dessas jóias mais escondidas do que as pérolas.
Adorável é presente vivo ... sonho doce. Adorável é cantiga de roda, livro esgotado, café amargo com bolo doce, pipoca quentinha, azaléia rosa plantada em vaso colorido, casaco vermelho, salto alto, céu cinza, dias de brisa. Adorável é mundo à fora.
Adorável é inspiração.
É amor guardado.
É coragem.
É esperança renovada.
Tu és Elga ... muito do que reconhecem em ti. Acredite-me tu és ... uma lindeza Adorável. Já te disse antes: tu és alimento pra minha alma "flutuante".

4 comentários:

Dama disse...

Ai Bel, que saudade de vir aqui, sorver sua poesia... a vida tá bem corrida, esse ano foi bem complicado, um ano onde pus a vida de lado para semear e quem sabe colher belos frutos no futuro. Espero em breve poder voltar a ser assídua por aqui.
Desejo que estejas bem e que Tuju retorne logo, para aquecer seu coração.
Beijo grande e saudoso.

Renata disse...

Bel,

Adorável é você, são suas palavras. É a intensidade do sentimento que transborda de cada uma delas, enlaçadas de um jeito que só você consegue colocar.
Adorável e adorada.

UM beijo grande, cheio de carinho,

Rê.

O Profeta disse...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu

Onde param os teus anseios
Onde encontras a sublime calma
Nestes dias de dura tormenta
Onde aqueces a tua alma?

Voa comigo...


Mágico beijo

adriflorida disse...

Bebel, tuas palavras me tocam a alma com um carinho tao lindo que mais parece a brisa do mar dos Ing. ao entardecer ...adoraria ter mais tempo pra ficar ai nesse entardecer mais vezes...uma pena que a vida tem de ser assim tao corrida...