Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

12 janeiro 2010

( ...)

... tudo ficava assim de tempos em tempos. Tudo ficava reticente em tempos de recomeço. Sempre era difícil pra ela se reinventar e se colocar em movimento. Dias de sol eram exceção tanto de gosto como de opção. Sombriamente vívida aceitava sentir a potência do sol sobre a pele.Protegia-se dele acentuando o branco por cima de si. Mais de 60 era o seu fator. Gostava das peles que acentuavam um marrom-dourado. Mas era muito pra ela ... era muito esforço se expor aos dourados pra se iluminar. Branquidão invernal ... gostava dos dias de praia com chuva, nublados, gostava de ver o mar-esverdeado dentro dele. Teve dias assim, dias que voaram pela força da vontade de ficar com tantos dos seus, das suas. Outros ficaram pra depois.
Por vezes ... ela ficava pra depois. Aprendeu a não sofrer por optar.

4 comentários:

Fiona de Bourbon disse...

Belzíssima
passando pra te deixar um beijo. Ainda não tinha te dito, mas eu aaaamei sua decoração de natal. Cada cantinho lindo. Sua casa já parece as de conto de fadas, e decorada com luzes, então...

beijoooo
tê-la perto é sempre muito melhor.

Elga Arantes disse...

Querida Sininho,

Estou esperando um bom momento para escrever para vc. Desejos de bom recomeço, feliz ano novo coletivo, boas reformas íntimas e especializações emocionais.

O bom momento seria com tempo de sobra, inspirações voluntárias motivadas por boas energias desfrutadas, ou algo parecido com oportunidades cotidianas e efemeridades do espírito, sabe? Mas ainda não consegui traduzir em palavras tudo o que desejo para vc. Talvez pela falta de tempo, ou energia, não sei bem.

Adorei seus desejos para mim, expressos lá no orkut. Também, por isso, quero agradecer. Sendo bem senso comum, mas com sinceridade quase incomum para esse espaço nosso, quero, além, agradecer seu carinho, sua amizade, (que apesar da virtualidade, sei ser verdadeira) suas esperanças em mim depositadas e em mim plantadas, aos poucos, mas sempre com muita intensidade. Agradecer a vida que reparte comigo, suas exposições, sua delicadeza, seus sorrisos, em cada foto.

Espero que esse ano, possamos nos encontrar, quem sabe? É uma das minhas... metas, não, pq tenho medo delas (rsrs, medo de não atingir) uma de minhas maiores vontades. Conhecer vc, Michele e rever a Karen, todas moradoras daqui.

Muitos beijos e um abraço bem apertado.

Ana Carolina disse...

Queridona, saudades das suas reflexões. E do seu carinho!

Um beijo, espero q esteja tudo bem!

Ana

Bel disse...

Princesa, faz tempo! E o tempo sempre faz. Percebo que adoras ver fotos, né? Sinto que por vezes elas falam mais do que nossos textos.
Um beijo, viu?

Adorável,

Gosto de te chamar assim. Fui feliz ao escolher esse teu codinome. És.
Tuas palavras sempre me envolvem. Sinto teu afago, sinto o que há. Nem maior nem menor. Sinto o que há.
Fico imensamente feliz.
Tua delicadeza me presenteia.
A virtualidade é confirmação da sintonia.
Adoro-te.
Muitos beijos,
Até dias dessses ...
Sininho.

Aninha ....
Tu ... tua forma enxuta de me dizer que estás por perto me deixa tão feliz!
Sei da correria que é a tua vida ... e teu passeio por aqui é um novo respiro pra mim.
Muitos beijos,


Bel.
Bel