Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

12 abril 2010

Entremeio

... vinha com os olhos meio adormecidos. Sentia-se adormecida quase que por inteiro. Sentia-se metade ... sentia-se no meio. Naquele entremeio que só aparece quando o inteiro abre espaço pra fragmentos. Custava abrir os olhos em dias claros como aqueles iguais a esses ... lembrou-se da sensação que se sobrepunha as pálpebras que lhe traiam e se queriam abrir. Fisiologicamente revolucionárias. Concordou com a reivindicação e se deixou abrir ... e a luz lhe veio e lhe fez querer ainda mais a escuridão que há na tentativa desesperada de alcançar o sono.
Toda a insistência exige uma espécie de escuridão o tempo entre o piscar dos olhos ... entre o agir e o dever esperar. Entre o anúncio do sono e a sua aparição que sempre é obscura e inesperada.
O mundo fica preto quando se dorme. O mundo fica colorido quando se sonha. O mundo fica vendaval quando se tem pesadelo. O mundo fica à espera quando o sono insiste em se deixar ir.

3 comentários:

Biana França disse...

Bel, que saudades.Estou tão distante, ultimamente tenho sido cem por cento noiva,rsrsrs.
Espero que esteja bem.
Bjussss

Elga Arantes disse...

"Toda a insistência exige uma espécie de escuridão o tempo entre o piscar dos olhos ... entre o agir e o dever esperar."

Deve ser por isso que o oftalmologista me prescreveu colírio para melhor lubrificação dos olhos... Disse que eu pisco rápido demais.

Pensava que fechar os olhos me fazia perder alguma coisa. Hoje, penso que pode me fazer ganhar algumas outras coisas, não é isso?

Beijão!

Cirandas da Vida disse...

Como sempre seus textos me emocionam... e olha que estamos falando de um simples abrir e fechar de olhos.. rsrs!!

Na verdade.. tudo que vem nas entrelinhas... eh que me toca.

Que nosso mundo fique colorido sempre... porque eh tao bom sonhar!!!

te adoro e estou morrendo de saudades...
bjinhoss