Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

19 março 2008

Volto Logo! Saudades... Uns Moldes de formas.

... tudo começou com um aperto...espremido no peito seu. Uma pontinha apertada num cantinho do seu tambor vermelho. Nada que lhe alterasse o ritmo venoso, nada que o fizesse latejar e ser percebido à olho nú. Nada que alterasse o compasso orquestrado de antes. Mas ... ela, ela sabia que quando assim se sentia sua mente custaria a dormir. Sabia que seus diálogos seriam repassados um à um ... ela corrigiria suas falas e tentaria ser mais tranquila com todos. Lembrou-se: primeiro consigo. Sabia que precisava se domar embora apreciasse seu jeito ligeiro. Mas os olhares sempre lhe avisavam, sinalizavam um certo desconforto ... aparente.
Estava encolhida ... disfarçava sua avolumada presença e se diminuía ... primeiro: corporalmente.
Programada ... auto-programada em si. (En)simesmada ... sedimentada em sua urgência. Difícil seria encontrar outros moldes ... mais sinuosos e menos espessos. Mas ela haveria de achar. Buscaria dentro de si ... colaria os que já haviam partido ... disfarçaria os que estavam trincados. Lustraria os mais apagados. Encontraria novos formatos mais condizentes com seus diferentes desenhos em papéis. Seriam ... daqueles moldes ... que quando encontram uma superfície lisa (seja ele um massa amarelinha de docinhos de Natal, um tecido frio de seda, uma massinha de criança bem azuladinha) se acomodam e se recortam esboçando um delicado contorno ... uma forma divertida porém, precisa. Ela poderia se moldar sem se alterar por dentro ... todos podem. E, de novo, pensou ... na sua auto-exigência, no espelho de sua transparência, no volume de sua presença, no olhar de doçura ... a sua. E pediu compaixão ... auto-compaixão!
Ela cantaria pra si e a colocaria pra dormir ...ternamente.

2 comentários:

Daniella disse...

Oi Bel! Saudades!
Meu micro pifou e fiquei alguns dias 'fora'... Voltei hj e vi que vc tb estava 'fora'... encontrei só um que não tinha lido...mas como compensou, liiindo!
Bel, sempre digo isso, mas mesmo sem realmente 'entender' o que quer dizer...sempre me diz algo... vejo a beleza da poesia... sempre me toca...
Felicidades e obrigada!
Bjins, Dani.

Bel disse...

Dani...nossa sincronia se revela até nos afastamentos (temporários)!
Tuas palavras sempre adoçam meu dia!
Eu é que te agradeço...pela ternura.
Um beijo, estou-estamos de volta!
Bel.