Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

05 maio 2009

Um querer

Ela queria muito que tudo pudesse dar muito mais certo do que já havia dado. E ... de tanto querer talvez pudesse ter invertido ... revertido. Quis defender sua vivência e talvez tenha confundido-os (as) sem querer. Encantada ... acreditava ser possível mergulhar no outro(a) ... ter uma curiosidade verdadeira. Um pulso de impulso. Acreditava ser possível ter um interesse vivo a cada vez que aquele outro ... aquela outra .... se posicionasse bem em frente aqueles olhos transparentes ... contornados pela objetiva da câmera viva. Apostaria que tudo se revelaria com tempo e intimidade: necessárias. Apostaria no que já existia pra além do olhar devorador ... dela.

4 comentários:

Nina disse...

Uau!

Às vezes, somos nós mesmos os nossos juízes, críticos e julgadores e temos mesmo esse olhar devorador.

Ela tem que continuar querendo, porque ela definitivamente, pode.
bsj com carinho Bel,Mel!

Elga Arantes disse...

"Definitivamente, pode!"

Elga Arantes disse...

Minha fadinha querida, que saudades de vc! Espero que esteja tudo bem.
Beijos.

Fiona de Bourbon disse...

Beeeel
como cê tá? Conta como foi o feriado em João Pessoa, gostou?
beijooo