Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

10 agosto 2009

Há dias


Arte em fotografia: Marco Novack

Há dias que nem parecem dia. Há dias que acentuam a escuridão da noite. Há dias que a rotina silencia, nem ela grita. Há dias que há pouco, que parece haver quase nada. Há dias que a noite chega tarde. Que de tão tarde volta a ser dia. Há dias que se espera por novos dias. Há novos dias.

4 comentários:

Chris Spode disse...

ouso dizer q essa foto é uma das mais lindas já tiradas pelo Marco para o ficção.
lindo seu olhar, sua entrega aos dias q se embolam, enrrolam, dão vida a tudo q nos cerca nesse universo de olhos vivos.
saudades dos seus esmagos!
beijos!

Elga Arantes disse...

Tenho vividos tais dias, querida amiga. O dia oficial do fim do que chamo amor, foi na semana passada. Esses outros que o seguiram tem deixado rastros. Cada vez menos pesados, é certo, mas, ainda assim, num deserto escaldante. Mas tenho exercitado minha crença no oásis providencial. Tomara que dê certo. Tomara que eu o enxergue, mesmo que me miragem.

E vc, seu filme... sobre o que? Tem endereço virtual? Fiquei tão interessada e curiosa e orgulhosa, rs.

Queria poder te inspirar, como vc faz comigo, tantas vezes> Mas em "dias que acentuam a escuridão da noite", tem sido difícil, mesmo.

Linda sua divagação! Tão inteligente, tão pertinente, não contextual... pra mim!

Um beijo.

Renata disse...

Há novos dias. Basta isso para que haja esperança, e um sorriso no rosto.

Que os seus dias sejam abençoados.

Um beijo,

Rê.

Elga Arantes disse...

Bel, só para constar: a despedida já aconteceu há tempos. O fim formal também. Mas, intimamente, ele só aconteceu agora.