Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

Casa di Bebel ... Rabiscos sem papel

17 novembro 2007

PRA DANÇAR UMA NOITE INTEIRA! PRA VIVER UMA VIDA TODA!

Ontem...recebi a visita de minha irmã que veio de Floripa pra Curitiba...num sentido (quase)inverso! Depois de mais de 3 anos...programamos uma saída noturna. Fomos na Aoca junto com o Tujú e a Aline (a culpada de me levar pros sambas em Curitiba). Foi como se estívessemos nos tempos de nossos 20 anos... a maquiagem e a divisão do espelho...as opções de figurinos...as risadas vindas das lembranças... as sambadinhas no tapete pra ver se o sapato aguentaria o tranco....muita vida em segundos!
Viramos uma madrugada depois de anos....a música nos embalou como nas cantigas de ninar nunca cantaroladas...nossos pés ficaram em suas pontas como nunca ficaram nas aulas de ballet ...tão pouco vividas. Nossas bocas cantaram músicas dos tempos em que eram tocadas no toca-disco que foi dado de presente...pra nós...num dia de páscoa nos idos dos anos 70....quase oitenta.
Dias de sincronias...de bailados...de rodopios quase juvenis...como deve ser a vida..apesar dos tempos que... nos passa....pra uma nova idade...que insite em nos formatar em moldes de identidades.
Eu me vi... do mesmo jeito que sempre fui...e que insistirei em ser...um tanto quanto espaçosa,rodopiante demais e louca de cara.... ela...quieta, discreta, elegante e bem..bem...mais serena! As perguntas dos tempos antigos ainda lhe vieram aos ouvidos " essa amiga tua está doidona, hein?". E ela...como sempre respondeu...com uma certa agonia no olhar...protegendo-me " Não! Não está não".
E, eu...depois de anos...percebi que as coisas mesmas sempre serão as mesmas coisas...porque a humanidade ainda insite em não se desprender do que é...neste caso...especificamente...da dança padrão.
Eu vi a "Janinha" do mesmo jeito que há dez anos atrás (me esperando...sentada...dançar só mais uma!!!) tentando entender nossas diferenças...buscando respostas de meus jeitos...dos seus...vi aquele mesmo olhar..quase risonho...e a vi...dançando. Linda....como sempre foi.
Saudades, Janinha...
Um beijo,
Bel.

3 comentários:

Nana Rodrigues disse...

ah...bel...essas coisa que se explicar ninguém entende...que se contar ninguém acha graça...mas que percebe sabe por que de tanto bem-querer...beijo...

Jana disse...

Bel!
Por quê meu rosto se enche de lágrimas toda vez que te leio? Será porque eu sou menos e tu és, cada vez, mais? Mais artística, mais poética, mais espontânea, mais sensível, mais generosa, mais hospitaleira, mais acolhedora? O fato é que adorei fazer o caminho inverso, voltar ao passado, me sentir protegida, receber ajuda para solucionar coisas simples, torna a alma mais leve. Bom, por isso tudo ai, ficou um gostinho de quero mais, que me fará fazer o caminho inverso outras vezes. Por enquanto, vou te "seguindo" por este novo espaço, lindo e circular, um novo jeito de aproximar.
Beijão minha irmã querida e obrigada por tudo!
Jana.

Bel disse...

Janinha....respondendo-te...Tu, menos? de onde...aonde! Eu é que te olho e vejo...lindezas múltiplas, não só aquela comentada por todos...a estética tua.
Vejo maturidades....vejo encantos de muitos cantos.
Vamos nos teclando...por aqui...por alí...também. Venha! Estou sempre esperando!
Um beijo....Bel.


Pra Aline.....
Minha querida do dia à dia...sei bem que percebes isso tudo que escrevo...sei da amplitude e beleza do teu olhar...por isso que admiro-te mais! Beijos, bbbeeelll.